etla

Entrevista com o Diretor DARIO GALO da Escola de Teatro "Leonardo Alves"

DARÍO GALO Diretor da Escola de Teatro "Leonardo Alves" em Rio de Janeiro nasceu o dia 11 de novembro de 1975 em SANLÚCAR de BARRAMEDA (Cádiz). ESPANHA.

Depois o segundo grau ele passou com sucesso o BACHAREL em INTERPRETAÇÃO / Instituto do Teatro (Centro Andaluz do Teatro) /Sevilha (ESPANHA), 1995-1999.

a seguinte o BACHAREL em JORNALISMO / Universidade de Sevilha, 1993-1997.

- COMUNICAÇÃO AUDIO-VISUAL / Universidade de Sevilha, 1997-2001. Último período.

- MÁSTER em DIREÇÃO de EMPRESA AUDIO-VISUAL / Universidade Carlos III de Madri (ESPANHA), 2008-09 / Matrícula de Honor com a Tesis “Produtora Audiovisual de Ficção”.

- CURSO de LICENCIATURA APTIDÃO PEDAGÓGICA (CAP), Universidade Complutense de Madri (ESPANHA), 2008-09.

- MESTRE em ARTES CÊNICAS pela UNIRIO: “A Capoeira Angola como caminho para a formação, o treinamento e a criação cênica do ator” / Bolsista CAPES / Rio de Janeiro (2012-14).

- CURSO de FORMAÇÃO em GESTORES PÚBLICOS e AGENTES CULTURAIS / UERJ, Ministério de Cultura e Secretaria de Cultura do Governo de Rio de Janeiro (2013-14).

Sua experiença e muito grande mesmo até que não podemos citar tudo aqui, mas desde os 4 anos que DARIO GALO chegou aqui no Brasil ele continuo ficar apaixonado pelo o teatro aqui no Brasil e trabalhando com:

- 2014-15 / PASSOS, de Lope de Rueda / Cia. Trinca Rua / Estréia no SESC São João deMeriti (31 de julho, Rio de Janeiro) / Projeto ganhador do Edital IBERESCENA de Co-Produção de Espetáculos Iberoamericanos de Teatro 2014-15 (Brasil /Espanha) /Diretor, ator e adaptador da peça.

- 2014 / A INCRÍVEL VIAGEM DE JUCA (Inspirado no Imaginário de Monteiro Lobato), de Daniella Nery / Cia. Troupe do Curumin / Estréia no SESC Nova Iguaçú (9 maio, Nova Iguaçú - RJ) / Diretor.



 

ETLA

Flyer etla

Cartazprova10



 

Morando no Rio há quatro anos, o espanhol Darío Galo, em parceria com dois de seus alunos, fundou a Cia Trinca Rua em 2013, “adaptando e recriando a tradicional commedia dell'arte ao universo brasileiro”, como o mesmo define. “Em Madri, onde morava, conheci uma atriz brasileira, a gente se apaixonou e tivemos uma filha. Mas minha mulher tinha saudade da sua terra e viemos para cá. Eu já tinha um percurso profissional no meu país, trabalhando com commedia dell'arte e teatro popular. Aqui comecei a fazer contatos, trabalhar, dar aulas e conhecer profissionais. Fiz um mestrado na Unirio desenvolvendo um método de formação, treinamento e criação cênica para o ator baseado nas ferramentas e possibilidades que oferece a Capoeira Angola, com a sua expressividade e teatralidade. Todo esse material eu incorporo como diretor à nossa companhia”, explica.

A trupe de comediantes apresenta "Passos", de Lope de Rueda, considerado o precursor do Século de Ouro do teatro espanhol. São três histórias breves repletas de situações cômicas e musicalidade.

“Traduzimos e adaptamos essas peças curtas ao universo brasileiro, com os arquétipos do Brasil. Na primeira delas, Pagar ou Não Pagar, um fidalgo envia o seu criado para pagar as contas atrasadas do seu aluguel e é enganado por um esperto ladrão. Na segunda delas, A Terra de Jauja, dois pícaros ladrões matam a sua fome contando histórias fantásticas para um camponês. E na terceira, O Generoso Espancamento, um amo castiga os seus criados enquanto procura o ladrão da sua linguiça. Utilizamos rituais da capoeira e músicas brasileiras como o forró, o pagode, a ladainha ou o canto indígena para introduzir e criar o clima das cenas”, afirma Galo.